Quarta, 11 Outubro 2017 13:15

Projeto sobre ética e corrupção é apresentado

Escrito por

“Seja a mudança que você deseja ver no mundo” Mahatma Gandhi

“O que você tem a ver com a corrupção” é o nome do projeto apresentado na quinta-feira (10/10), na Casa dos Conselhos, pelo promotor do Distrito Federal e Territórios, Renato Barão Varalda, coordenador administrativo das Promotorias de Justiça da Infância e Juventude. O projeto aborda temas como ética, corrupção, indisciplina escolar e ato infracional, com o intuito de levar os jovens a reflexão sobre seus comportamentos e a consequência destes. 

O promotor lembrou que o projeto se iniciou em Santa Catarina. No Distrito Federal já chegou a mais de 700 escolas do Ensino Médio. “O projeto tenta incutir nos adolescentes uma mentalidade de respeito, ética, honestidade, do competir com lealdade”, detalha o promotor que trouxe todo material de apoio: cartilhas e vídeo, para demonstrar a temática. “O projeto mostra que sempre temos duas opções, a opção da ética e lealdade ou a opção do se dar bem, que é o famoso jeitinho brasileiro. E mostramos que o caminho de agir com correção é justamente agir com lealdade e respeito”, reforça Varalda. 

Na opinião do promotor da Vara da Infância e Juventude de Bebedouro, Herbert Wyllian Oliveira, o projeto mostra que há corrupção em ações corriqueiras. “Sempre achamos que corrupção é algo distante, dos governantes, dos políticos, mas corrupção nasce em casa, na rua, no trânsito, nos pequenos negócios e esse projeto traz uma atenção sobre isso, para refletirmos sobre os pequenos atos de corrupção que praticamos e muitas vezes não percebemos, como nascedouro de grandes atos do futuro”, ressalta.  

A palestra foi acompanhada por integrantes da Rede Protetiva da Infância e Juventude e do Centro Assistencial Espírita “Do Calvário ao Céu” (CAECC), que também apresentou o projeto “Tecendo Caminhos”, que trabalha com jovens em dependência química e seus familiares, que buscam recursos para livrar os filhos das drogas e corrupção. De acordo com uma das participantes do projeto, Renata Molezim, em 2016 foram atendidos 10 adolescentes, este ano são 25, além das palestras em escolas estaduais que chegou a cerca de 600 jovens em dois meses. 

Lucimara Lopes, coordenadora da Rede Protetiva, lembra que o projeto do CAECC é financiado com recursos do Imposto de Renda revertido à Rede Protetiva. “O contribuinte pode agora observar os resultados, crianças e adolescentes sendo atendidas pelo projeto com o intuito de resgatá-las é fundamental e é muito importante que o contribuinte veja o quanto é importante para o trabalho”, reforça. 

O prefeito falou da importância da capacitação, frisando que todos os envolvidos são multiplicadores de informações em um trabalho em rede que tem como objetivo percorrer o caminho de forma mais rápida. 

O material utilizado na palestra: vídeo e cartilhas foram entregues ao promotor de Bebedouro, Herbert Wyllian Oliveira e ao secretário de Educação, Rodolfo Rodrigues.


Lido 143 vezes

Quantos online

Temos 212 visitantes e Nenhum membro online